༒☬THE FRIENDS☬༒

Categoria do Grupo:
Amizades e Bate-papo
Infomações:
Grupo postado em 12/02/2020 com 118 visualizações e pontuação de 103 pontos.

Descrição do Grupo:
ʀᴇɢʀᴀs: 1 - ɴᴀᴏ ғᴀᴄᴀ ᴅɪᴠᴜʟɢᴀᴄᴀᴏ ᴅᴇ ʟɪɴᴋs ᴅᴇ ɢʀᴜᴘᴏs ᴏᴜ sᴘᴀᴍ (ʙᴀɴ) 2 - ɴᴀᴏ ғᴀᴄᴀ ᴇɴᴠɪᴏ ᴅᴇ ғᴏᴛᴏs ᴏᴜ ᴠɪᴅᴇᴏs ᴄᴏᴍ ᴄᴏɴᴛᴇᴜᴅᴏ ᴘᴇsᴀᴅᴏ ᴇx: ʜᴏᴍɪᴄɪᴅɪᴏ ᴏᴜ sᴜɪcidiᴏ (ʙᴀɴ) 3 - sᴇᴊᴀ ᴜᴍ ᴍᴇᴍʙʀᴏ ᴀᴛɪᴠᴏ, sᴇ ᴘᴇʀᴄᴇʙᴇᴍᴏs ǫᴜᴇ ɴᴀᴏ ᴇsᴛᴀ ᴀᴄᴏᴍᴘᴀɴʜᴀɴᴅᴏ ᴏ ɢʀᴜᴘᴏ ᴀ ᴅɪᴀs ᴏᴜ sᴇᴍᴀɴᴀs ᴀᴠɪsᴀʀᴇᴍᴏs, sᴇ ɴᴀᴏ ᴛɪᴠᴇʀᴍᴏs ᴜᴍᴀ ʀᴇsᴘᴏsᴛᴀ sᴇʀᴇᴍᴏs ᴏʙʀɪɢᴀᴅᴏ ᴀ ᴇxᴘᴜʟsᴀ-ʟᴏ 4 - ɴᴀᴏ ᴘᴇᴄᴀ ᴀᴅᴍ (1 ᴀᴠɪsᴏ, ᴄᴀsᴏ ᴄᴏɴᴛɪɴᴜᴇ, ʙᴀɴ) 5 - ɴᴀᴏ ʀᴇᴄʟᴀᴍᴇ ᴅᴇ sᴇʀ ᴢᴏᴀᴅᴏ ᴏᴜ ᴀʟɢᴏ ᴅᴏ ᴛɪᴘᴏ, ᴏ ᴛᴇᴍᴀ ᴘʀɪɴᴄɪᴘᴀʟ ᴅᴏ ɢʀᴜᴘᴏ ᴇ ᴢᴏᴇɪʀᴀ 6- PV SÓ COM AUTORIZAÇÃO 7- GADOS RESPEITAR AS MENINAS 8- MANDA OI Aqui no Solion Linkgrupos você encontra os melhores grupos para WhatsApp. Em nosso aplicativo você também encontra muitos grupos para telegram, três idiomas muita amizade, namoro, paquera, jogos e desenhos.

Outros Grupos:

💣💥🧨♠❤ amizades com força💣

Fluxo do DIADEMA 🤡💪🏻🔫💣🧨⚰💰💎

🔐❤₵ⱤɄ₴Ⱨ ØɄ ₳₥łⱫ₳ĐɆ₴❤🔐

👑Grupo dos contatos 👑

Amigo pra sempre

😘❤💕Namoro ou namoro 😘❤💕

Qualificados_Da_Rota 🚚💨👽

Novos amigos ❤🧡💛💚💙💜🖤

AMIZADE OU ALGO A MAIS

Covit19

Grupo dos louco

Help Passageiro PA

Não sei pra que ele serve

Brodis🥱🤙

🦉Harry Potter ⓡⓟⓖ⚡

Novas amizades é sempre br😏🤭

Um grupo de V.v.u

Opann

---🙉Boca🙈Aberta🙊---

Torture kiddin🥵🥵🦦Hinaro⚠⚠

Últimas nóticias

Fontes: Logo do G1
China tem primeiro dia sem mortes por novo coronavírus
O número diário de novas mortes estava caindo há semanas e na segunda-feira (6) ocorreu apenas um falecimento, segundo o ministério da Saúde. A China não registrou morte por Covid-19 nas últimas 24 horas, algo inédito desde o início da publicação de estatísticas sobre a epidemia do coronavírus, em janeiro, informaram as autoridades de saúde nesta terça-feira (7). O gigante asiático, onde o novo coronavírus surgiu no final de 2019, informou seu primeiro falecimento por Covid-19 no dia 11 de janeiro. Desde então, registrou 3.331 mortes por causa da pandemia. O número diário de novas mortes estava caindo há semanas e na segunda-feira (6) ocorreu apenas um falecimento, segundo o ministério da Saúde. Os novos casos de contágio na China continental caíram a partir de março, mas o país enfrenta uma segunda onda de infecções, a partir de cidadãos que chegam do exterior, e já há mil casos, segundo a Comissão Nacional de Saúde. O ministério confirmou 32 novos casos de contágio nesta terça, todos importados. As autoridades também registraram 30 novos pacientes assintomáticos, elevando o total de infectados no país a 1.033. A maior parte dos casos e dos óbitos ocorreu em Wuhan, cidade do centro do país onde surgiu a epidemia, que já matou mais de 70 mil pessoas no planeta. Initial plugin text
Coronavírus: Preso de grupo de risco pede para não deixar a cadeia após advogado tentar prisão domiciliar
Condenado por estupro, homem de 65 anos disse que deseja permanecer preso em Maringá, no norte do Paraná, até que a pandemia amenize. Justiça ainda vai decidir sobre a solicitação. Por medo da Covid-19, preso se recusa a deixar a cadeia Um preso da Colônia Penal e Industrial de Maringá (CPIM), no norte do Paraná, declarou que não quer deixar a unidade e ir para prisão domiciliar mesmo após o advogado dele entrar com um pedido na Justiça. O detento, de 65 anos, justificou que se sente mais seguro preso. A defesa do idoso apresentou o pedido por causa da pandemia causada pelo novo coronavírus - em razão da idade, ele se enquadra no grupo de risco. Até a publicação desta reportagem, a Justiça não tinha decidido sobre a solicitação. O detento soube do pedido pela assistência social do presídio, ao ser chamado para ser ouvido no processo. “Declaro que o advogado que me representa fez um pedido de prisão domiciliar sem me consultar, contra a minha vontade”, diz o preso, em uma declaração assinada na sexta-feira (3). O homem está preso há 12 anos e 9 meses, por estupro de vulnerável. Na unidade onde está, de regime semiaberto, ele trabalha na cozinha. Presos por crimes graves vão para regime domiciliar por risco de coronavírus Paraná tem 466 casos confirmados da Covid-19 e 14 mortes “Quando falei que ele poderia ter que sair, por causa desse pedido da defesa, ele ficou visivelmente contrariado. Quase chorou”, diz Osvaldo Machado, diretor da CPIM. “É uma situação que a gente não esperava”, diz. De acordo com a declaração, entregue à Justiça, o preso diz que não se sentiria seguro contra a doença fora da prisão. “Neste momento, não desejo sair desta CPIM pelo motivo de me sentir em maior segurança na unidade devido a possibilidade de contágio pelo vírus (...). Esclareço que indo para minha residência terei contato com pessoas que necessitam sair de casa e podem ser um meio de contato da doença”. O detento finaliza a declaração dizendo que deseja “permanecer na unidade até que a situação de pandemia amenize, prezando pela minha vida e saúde”. O advogado Rodrigo Alves de Oliveira, responsável pelo pedido de soltura, disse que não esperava a reação contrária. “É uma situação estranha”, diz. Segundo ele, a suspeita é que o detento tenha receio de perder a vaga na CPIM, ao final da pandemia. “Ele estava na PEM (Penitenciária Estadual de Maringá). Geralmente, esse tipo de preso teme perder a vaga na CPIM”, diz. Oliveira diz que ainda vai se reunir com o preso para discutir a situação. Mais de 2,5 mil presos deixam cadeias Mais de 2,5 mil presos em delegacias e presídios do Paraná foram autorizados pela Justiça a cumprir prisão domiciliar por causa do risco de contágio do novo coronavírus. A estatística consta em um relatório do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), de 16 de março até a sexta. Uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), de 17 de março, orientou que os tribunais e juízes adotassem medidas preventivas à propagação da Covid-19 nas cadeias, como a liberação para a prisão domiciliar de condenados, mesmo em regime fechado, que se enquadram em grupos de risco. Até a sexta, nenhum caso da Covid-19 tinha sido registrado em cadeias no estado, segundo o Depen. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
Empresa júnior da UFC cria site de doações para pessoas afetadas pela Covid-19, no Ceará
Além de doações, é possível ficar informado sobre o vírus, sintomas, formas de prevenção e informações diárias sobre os números de casos confirmados. Uma empresa júnior de desenvolvimento de software do Campus de Russas da Universidade Federal do Ceará desenvolveu um site de informações e prevenção ao novo coronavírus onde também é possível realizar doações para pessoas ou famílias que estejam em situação de vulnerabilidade econômica ou solicitar ajuda para si mesmo ou terceiros. Acesse para ajudar No site, é possível fazer o cadastro em uma das três opções: "posso ajudar", "eu preciso" e "conheço alguém que precisa". As pessoas inscritas para receber o auxílio ficam em uma lista por meio da qual interessados em ajudar possam entrar em contato com elas. O estudante do curso de engenharia de software Luís Otávio Caminha disse que a intenção inicial era criar um site para disponibilizar explicações sobre o vírus, sintomas, formas de prevenção e informações diárias sobre os números de casos confirmados, contudo, a equipe percebeu que "era possível ir além e criar uma aba para doações". Ele resume a iniciativa: "em suma nosso site está voltado para isso. Iniciamos o processo de divulgação recentemente e estamos buscando parcerias de doações em troca de divulgação no site", explicou. A empresa Include Jr é formada por estudantes dos cursos de ciência da computação e engenharia de software do Campus de Russas. Atualmente o grupo é formado por 10 alunos de graduação, sob orientação do Professor Dmontier Aragão, do curso de engenharia de produção.
Depois de idas e vindas, ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, diz que fica no cargo
Numa segunda-feira de idas e vindas sobre a permanência de Mandetta à frente do Ministério da Saúde, o vice-presidente Hamilton Mourão também disse que Mandetta permanece no cargo. Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, diz que fica no cargo Numa segunda-feira de idas e vindas sobre a permanência de Luiz Henrique Mandetta à frente do Ministério da Saúde, o vice-presidente Hamilton Mourão disse no início da noite que Mandetta permaneceria no cargo. Pouco depois, o próprio ministro confirmou que fica. O Palácio do Planalto não se manifestou sobre o assunto. O presidente Jair Bolsonaro saiu do Palácio da Alvorada e, como de costume logo cedo, desceu para falar com apoiadores. Sem mencionar Mandetta, um deles falou que, como técnico de um time, Bolsonaro pode trocar quem está fazendo gol contra. O presidente fez sinal de positivo com a mão. Era o início de um dia de forte especulação sobre a queda de Mandetta. E saiu sem falar com a imprensa. No Palácio do Planalto, o presidente recebeu parlamentares pela manhã. E na hora do almoço decidiu reunir cinco ministros envolvidos no combate ao coronavírus, como Braga Netto, da Casa Civil. Mas não chamou seu ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que está na linha de frente desde o início. Bolsonaro preferiu chamar Osmar Terra, seu ex-ministro da Cidadania, deputado federal, aliado de Bolsonaro e visto por grupos que apoiam o presidente como um possível sucessor de Mandetta. No início da tarde, Mandetta discutiu ações para o combate ao coronavírus com procuradores do Ministério Público Federal. Tudo fechado. E a coletiva diária sobre as medidas contra a pandemia mudou de formato. De novo. Desta vez ocorreu sem a presença de Mandetta ou outros ministros. Bolsonaro decidiu marcar uma reunião no mesmo horário com ministros e diretores de bancos públicos para falar sobre os próximos passos do governo no combate à Covid-19. Mandetta compareceu ao encontro e não falou com jornalistas nem foi visto em público. Enquanto isso, funcionários do Ministério da Saúde desceram para a portaria para homenagear o ministro. O vice-presidente Hamilton Mourão disse ao blog da Andréia Sadi que “Mandetta segue no combate, ele fica”. Disse que a reunião tratou de cenários como a flexibilização do isolamento no futuro. À tarde, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, ligou para o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e disse que a saída de Mandetta atrapalharia a relação com o Parlamento. O Palácio do Planalto não se manifestou sobre a situação do ministro. Depois de um dia de tensão e dúvidas, o ministro Mandetta deu uma entrevista no Ministério da Saúde para dizer que fica no cargo até o fim da Covid-19. Ele foi aplaudido por um grupo de funcionários do ministério que o esperava e chegou levando apoio político, com deputados da Frente Parlamentar da Saúde e também com representantes do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde. Mandetta falou das críticas que têm recebido, comentou também sobre a especulação ao longo do dia sobre a possibilidade de ser demitido, admitiu que ficou apreensivo em vários momentos, mas afirmou que permanece no cargo. “Gostamos da crítica construtiva. O que nós temos muita dificuldade é quando em determinadas situações a crítica não vem no sentido de construir, mas vem para trazer dificuldade no ambiente de trabalho. E isso tem sido uma constante. O Ministério da Saúde adotar uma determinada linha, adotar uma determinada situação, e temos muitas vezes que voltar, fazer contrapontos, para podermos reorganizar a equipe, que fica numa sensação de angústia. Hoje foi um dia que rendeu muito pouco trabalho aqui no ministério. Ficou todo mundo com a cabeça meio avoada, sem saber se eu ia permanecer, se eu ia sair. Agradeço a muitos que vieram em solidariedade: ‘Se você sair, vamos sair juntos’. Gente limpando gaveta, até as minhas gavetas vocês ajudaram a fazer a limpeza. Nós vamos continuar, porque continuando a gente vai enfrentar o nosso inimigo. O nosso inimigo tem nome e sobrenome. É o Covid-19. Nós temos uma sociedade para tentar lutar, para tentar proteger. Médico não abandona paciente. Eu não vou abandonar. Agora, as condições de trabalho que os médicos precisam têm que ser para todos. Eu vou tentar trazer as melhores condições para vocês na ponta. E a única coisa que a gente está pedindo que nós tenhamos o melhor ambiente para trabalhar dentro do Ministério da Saúde”, afirmou. O ministro da Saúde reforçou a importância de manter o isolamento social e destacou que é preciso tomar decisões de saúde pública baseadas na ciência. “Eu sempre coloquei que a gente tem condicionantes. Enquanto não tivermos regularização de estoque de EPI, enquanto não tivermos uma previsibilidade de colocação de respiradores, de ventiladores, enquanto não tivermos as condições de mudarmos as recomendações, nós reforçamos que devem ser seguidas as orientações dos senhores governadores dos estados. Nós temos alguns parâmetros. Esses parâmetros vão sendo gradativamente incorporados à sociedade, que precisa entender que a movimentação social é tudo que esse vírus, que é o nosso inimigo, quer. As favelas são numerosas, as favelas são históricas. Além de serem de muito complexidade, é onde as pessoas se identificam com a sua casa. E elas têm todo o direito de saber aonde elas querem viver”, afirmou. Mandetta disse também que conta com a imprensa para atravessar esse período. “Esperamos que a gente possa ter paz para poder conduzir. Enquanto essa paz estiver colocada, a gente conta com a colaboração dos órgãos de imprensa. Eu não atendi nenhum de vocês nem ontem nem hoje. Durante o dia foram milhares de centenas de pedidos. Então, eu só espero que a gente possa, com essa equipe, nós vamos atravessar, nós vamos trabalhar. Todo mundo aqui tem uma noção de Brasil muito forte”, disse.
Funcionários do comércio e da indústria do Rio vão ter turnos de trabalho diferentes
Decreto da prefeitura visa evitar aglomerações no transporte público. Funcionários do comércio e da indústria do Rio vão ter turnos de trabalho diferentes A partir desta terça (7), funcionários do comércio e da indústria do Rio de Janeiro vão ter turnos de trabalho diferentes. A prefeitura baixou um decreto para evitar aglomerações no transporte público. No terminal de Santa Cruz, bairro na Zona Oeste do Rio, trabalhadores de serviços essenciais que iam embarcar no BRT, o sistema de ônibus com corredor exclusivo, formavam filas enormes com aglomeração. A cena se repete em outros terminais da cidade. Nas barcas, os passageiros também dizem que está impossível manter o distanciamento, reclamam do transporte lotado e da falta de higienização. Para impedir aglomerações na volta pra casa, a Prefeitura do Rio quer diminuir o número de passageiros. Pelo menos dos que precisam do transporte na mesma hora. A partir desta terça (7), trabalhadores da indústria e do comércio, que continuam autorizados a funcionar, vão ter horários diferentes de trabalho e, consequentemente, de usar os trens, o metrô e os ônibus. Pelo decreto publicado nesta segunda, a indústria tem que começar o trabalho antes das 6h. Já os estabelecimentos comerciais só podem abrir as portas depois das 9h. O horário restrito vale, por exemplo, para os supermercados, hortifrutis, lojas de materiais de construção e de gás de cozinha. Mas há exceções: padarias, farmácias, postos de combustível, lojas de conveniência e bancas de jornal podem abrir mais cedo. A prefeitura voltou a pedir ajuda para os motoristas não circularem com o ônibus cheios. “Senhor motorista, por favor, não pare o ônibus se estiver com bancos lotados. Pare o ônibus se entrar uma multidão. O senhor tem toda autoridade para parar o ônibus e esperar chegar mais um pra dividir os passageiros”, disse o prefeito Marcelo Crivella. O Rio vai manter todas as medidas restritivas e de isolamento adotadas até agora e ainda não há uma data para terminar.
Prefeito de Maceió prorroga decreto com medidas emergenciais de combate ao coronavírus
Prorrogação segue até o dia 22 de abril. O prefeito de Maceió Rui Palmeira, prorrogou o decreto que estabelece medidas para enfrentamento da situação de emergência de saúde pública por causa da pandemia do coronavírus. O documento foi publicado numa edição suplementar do Diário Oficial do Município, na noite desta segunda-feira (6). Pelo novo decreto, o isolamento social e a quarentena, com restrição de atividades estão mantidos, assim como o ponto facultativo presencial e o regime de teletrabalho, para os servidores da administração pública. Também continua suspenso o atendimento presencial nos órgãos da prefeitura. O decreto mantém o funcionamento dos serviços essenciais como atendimento médico, defesa civil, guarda municipal e agentes de trânsito e também o transporte de passageiros por táxi ou aplicativo. Aulas - As aulas para os alunos do município, em todas as Escolas da Rede de Ensino Infantil e Fundamental, seguem suspensas até do dia 22 de abril. Os ajustes do calendário escolar devem ser feitos pela Secretaria Municipal de Educação – SEMED, após retorno das atividades educacionais. Turismo e lazer - As atividades comerciais nas orlas marítima e lagunar continuam suspensas, exceto aquelas destinadas ao abastecimento da população, como o Centro Pesqueiro do Jaraguá e balanças de pescado. Os passeios turísticos também não devem acontecer assim como entrada de novos hóspedes nos meios de hospedagem de Maceió. O decreto inclui a locação de imóveis para fins turísticos através de qualquer plataforma, sites de hospedagem ou meios digitais Enterros e velórios - Segundo o decreto, os velórios e enterros só podem ter duração máxima de 1 hora e o caixão deve permanecer fechado para os casos em que a morte for suspeita ou confirmada por coronavírus. Nesses casos, o limite é de 10 pessoas. Já os óbitos decorrentes de outra natureza, a duração máxima passa a ser de 3 horas e o limite de pessoas é de 20 por enterro. Os Idosos com mais de 60 anos, as pessoas com doenças crônicas e as suspeitas de ter contraído coronavirus, não devem comparecer ao cemitério. Templos religiosos - Permanece suspenso, em todo território municipal, o funcionamento de templos, igrejas e demais instituições religiosas, sendo autorizado somente o funcionamento interno. Supermercados e farmácias - O decreto permite o funcionamento desses estabelecimentos, mesmo que estejam localizados em shopping centers A prorrogação das medidas preventivas assim como as novas medidas adotadas, seguem até o dia 22 de abril podendo serem prorrogadas. Initial plugin text As aulas para os alunos do município, em todas as Escolas da Rede de Ensino Infantil e Fundamental, seguem suspensas até do dia 22 de abril. Os ajustes do calendário escolar devem ser feitos pela Secretaria Municipal de Educação – SEMED, após retorno das atividades educacionais
Coronavírus: pandemia altera celebrações da Semana Santa
Missa são transmitidas, em tempo real, por redes sociais. Pandemia do coronavírus altera celebrações da Semana Santa O novo coronavírus está mudando os hábitos dos católicos. Está proibido o acesso ao Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade, conhecida como a padroeira dos mineiros. Difícil imaginar que um lugar tão bonito e tão importante para os fiéis ficaria vazio, em plena Semana Santa. O caminho da via sacra, que todos os anos recebe milhares de peregrinos na sexta feira da paixão, dessa vez, ficará sem visitantes. Boa parte da quaresma, período de 40 dias que antecede a páscoa, está sendo em quarentena. Segundo o padre Wellington Santos, reitor do santuário, quaresma e quarentena são palavras muito próximas. “O número 40, na simbologia bíblica, significa tempo de purificação. Tais como os 40 dias de Jesus no deserto, os 40 dias e 40 noites de chuva de Noé, no tempo do dilúvio. E a quarentena tem esse sentido, apesar de ser um termo cunhado na idade média”, contou. Apesar do isolamento social, os fiéis não estão ficando sem missas. Elas estão sendo transmitidas ao vivo pelos meios de comunicação da arquidiocese e redes sociais. Dentro da igreja, além do padre, ficam apenas três pessoas: os colaboradores responsáveis pelas leituras e pelas músicas. Quatro câmeras fixas são controladas por uma equipe que fica dentro de uma sala, cuidando da transmissão. Adaptações necessárias em tempo de pandemia, mas que não fazem a fé e a oração perderem força. “Nós estamos privados das nossas celebrações, mas agora é hora de cultivar com mais força esse amor e a fidelidade a Deus. É o que desejamos, especialmente, nesta Semana Santa”.
Com mais royalties do petróleo, Niterói e Maricá se unem para ajudar São Gonçalo a construir hospital de campanha para pacientes da Covid-19
Hospital de campanha terá 200 leitos. Municípios vizinhos recebem mais recursos dos royalties do Petróleo em relação a São Gonçalo. Municípios destinam parte dos royalties do petróleo para combater a Covid-19 Municípios vizinhos com realidades econômicas diferentes no Rio de Janeiro estão se unindo no combate ao novo coronavírus. Niterói e Maricá, que recebem um volume maior de royalties do petróleo, vão dividir com São Gonçalo, que tem menos recursos do pré-sal, a conta de um hospital de campanha dedicado ao combate a pandemia. Os royalties do petróleo renderam aos cofres de Maricá R$ 4, 8 bilhões nos últimos cinco anos. Já Niterói foi brindada com pouco mais de R$ 4 bilhões. As duas cidades criaram fundos com parte das receitas do petróleo - uma poupança que só pode ser usada em momentos de dificuldade financeira, como agora. “A inspiração de Maricá e Niterói vem muito desses fundos, chamados fundos soberanos. Esses municipios adotaram tal prática com o objetivo de garantir para equalizar os recursos e as receitas ao longo do tempo”, diz um especialista ouvido pelo JN. Já São Gonçalo tem a segunda maior população do estado, 1,2 milhão de habitantes e um sistema de saúde precário, mas recebeu apenas 22 milhões de reais em royalties no ano passado. Os três municípios ficam, em relação à capital, do outro lado da Ponte Rio-Riterói, na Região Metropolitana do Rio. Enfrentar juntos o coronavírus é importante para todos: os pacientes não atendidos em um lugar acabam procurando ajuda na cidade vizinha. É assim que São Gonçalo vai ganhar um hospital de campanha com duzentos leitos para pacientes da Covid-19. Mas a conta de R$ 90 milhões vai ser dividida entre Maricá e Niterói. As duas prefeituras informaram que devem recorrer aos fundos do petróleo para equilibrar as contas apenas se a crise se agravar. Mas os royalties já vão garantir renda mínima a milhares de famílias durante a quarentena. Maricá separou R$ 130 milhões para programas sociais e Niterói, R$ 200 milhões com os quais vai também construir um hospital de campanha com 120 leitos. Os dois municípios também vão oferecer empréstimos a juro zero para ajudar na recuperação de micro e pequenos empresários. Ilhabela, município paulista mais beneficiado pelo pré-sal, também tira proveito dos royalties e destinou R$ 25 milhões para o combate ao novo coronavírus. Sete mil moradores vão receber um auxílio aluguel emergencial, de R$ 960. Funcionários e autonômos também vão receber um salário mínimo durante três meses. Initial plugin text
Itatiba confirma primeira morte por coronavírus na cidade
Município contabilizava quatro casos de Covid-19 até esta segunda-feira (6). A prefeitura de Itatiba informou nesta segunda-feira (6) a primeira morte confirmada por coronavírus na cidade. O município contabiliza quatro casos de Covid-19. Trata-se de um idoso, de 88 anos, que teria sido atendido em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) com sintomas agudos, principalmente falta de ar, e precisou ser entubado. Durante a transferência para a Santa Casa da cidade, o idoso não resistiu e morreu. Até então, a morte era considerada suspeita. De acordo com o Executivo, a mulher dele, de 77 anos, está com coronavírus. Ela começou a sentir os sintomas no dia 13 de março, foi atendida em uma unidade de saúde, onde o médico teria receitado medicamentos e a mandado para casa. No entanto, seu quadro de saúde piorou e ela precisou ser internada em um hospital em Campinas, onde recebe oxigênio via cateter. De acordo com a unidade, seu quadro de saúde é estável. A cidade contabilizava até esta segunda-feira (6) 33 casos suspeitos. Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí

© Copyright 2020 LinkGrupos - Todos os direitos reservados.